Maior safra de café da história do Brasil

Recorde foi obtido em 2012/13, com 50,8 milhões de sacas. Brasil lidera o ranking mundial de produção e exportação e é o segundo colocado no consumo, com uma média anual de 4,3kg de café torrado e moído por habitante

21/03/2014
37984 Acessos
Imprimir
Maior safra de café da história do Brasil
A Maior safra de café da história do Brasil foi de 50,8 milhões de sacas, registrada em 2012/13, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Atualmente, o Brasil possui um parque cafeeiro estimado em 2 milhões de hectares, com mais de 185 mil produtores, distribuídos em 15 estados, segundo o site oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


Produção de café no Brasil
Safra milhões de sacas
2001/02 31,30
2002/03 48,48
2003/04 28,82
2004/05 39,27
2005/06 32,94
2006/07 42,51
2007/08 36,07
2008/09 45,99
2009/10 39,47
2010/11 48,09
2011/12 43,48
2012/13 50,82

As áreas cafeeiras de maior destaque estão nos estados de Minas Gerais, que corresponde a mais de 50% da produção nacional e Espírito Santo, com aproximadamente 20% de todo o café produzido no país.

Ainda conforme o Ministério, os principais destinos das exportações brasileiras de café verde são Alemanha, EUA, Itália e Japão. Em relação ao café solúvel, os maiores importadores são EUA, Rússia, Ucrânia e Japão; e café torrado e moído, EUA, Itália, Japão e Argentina.

O país também é o segundo maior consumidor de café do mundo, ficando atrás apenas dos EUA. O consumo médio por ano no Brasil é de 4,3kg de café torrado e moído por habitante. A cadeia produtiva de café é responsável pela geração de mais de oito milhões de empregos.

Tipos de café comercializados
- Café arábica: produto mais fino, requintado e de melhor qualidade. É cultivado em altitudes acima de 800m e predomina nas lavouras de Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Bahia, Rio de Janeiro e em parte do Espírito Santo.
- Café robusta: com maior teor de cafeína, é usado para a obtenção de cafés solúveis. Predomina nas lavouras do Espírito Santo, em Rondônia e em parte da Bahia e de Minas Gerais.

A história do café no Brasil
No Brasil, o café surgiu pela primeira vez em Belém – PA, em 1727. Uma pequena muda foi trazida da Guiana Francesa e pelas condições climáticas do país, o café se espalhou rapidamente, a princípio, com produção voltada para o mercado doméstico.

Em um curto espaço de tempo, o café passou de uma posição secundária para a de produto-base da economia brasileira, desenvolvendo-se com total independência, ou seja, apenas com recursos nacionais.

As plantações de café foram fundadas em grandes propriedades monoculturais, através do trabalho escravo, que foi substituído mais tarde por trabalhadores assalariados, em especial por imigrantes europeus.

A exportação do café produzido no Brasil começou em 1779, com a pequena quantia de 79 arrobas. Em 1806 as exportações atingiram um volume mais significativo, de 80 mil arrobas.



Desenvolvimento do país
Por quase um século, o café foi a grande riqueza do Brasil, o que acelerou o desenvolvimento do país, inserindo-o nas relações internacionais de comércio.

A cultura do café ocupou vales e montanhas e possibilitou o surgimento de cidades e importantes centros urbanos no interior de São Paulo, sul de Minas Gerais e norte do Paraná.

Com o café, ferrovias foram construídas para permitir o escoamento da produção, impulsionando o comércio de outras mercadorias. A cultura cafeeira também foi responsável pela expansão da classe média, diversificação de investimento e intensificação de movimentos culturais.

Mesmo depois de muitos anos, atualmente, o café continua sendo um dos produtos mais importantes para a economia do Brasil.

Origem e nome
A planta de café é originária da Etiópia, na África, há mais de mil anos, mas foi a Arábia a responsável pela propagação da cultura cafeeira no mundo, desenvolvendo também o hábito de tomar café.

O nome café vem da palavra árabe ‘qahwa’, que significa ‘o excitante’ e designa o fruto do cafeeiro. No início, o café era conhecido apenas por suas propriedades estimulantes e a fruta era consumida fresca, sendo utilizada para alimentar e estimular os rebanhos durante viagens.

Lenda
Conta a lenda que, no ano 800, um pastor da Etiópia levou até um monge o fruto de uma planta que, segundo ele, deixava o rebanho alegre e bem disposto quando a ingeria.

O monge experimentou uma infusão do fruto e percebeu que o produto o ajudava a ficar mais tempo acordado durante as suas meditações. O conhecimento do efeito do café chegou então ao norte da África e entrou no mundo árabe em meados do século XV.

Pé de café
Um pé de café começa a produzir plenamente cinco anos após ter sido plantado e produz em média 2,5kg de frutos por ano. Esses 2,5kg rendem 0,5kg de café verde (grãos), o equivalente a aproximadamente 0,4kg de café torrado.

Formas de consumo no mundo
- França: bebido juntamente com chicória
- Áustria: com chantilly
- África e Oriente Médio: com algumas especiarias, entre canela, alho ou gengibre
- Bélgica: com um pequeno pedaço de chocolate, colocado no interior da xícara
- Itália: preferência pelo café expresso, servido em xícaras pequenas
- Grécia: acompanhado por um copo de água gelada
- Cuba: consumido forte e adoçado, e em um só gole
- Sul da Índia: misturado com açúcar e leite e servido com doces
- Alemanha: servido com leite condensado ou chantilly
- Suíça: misturado com licor
- México: aguado e com pouco sabor

Fontes: Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Redação: Fátima Pires