Maior refúgio de vida marinha da costa brasileira

São 420 km de extensão costeira, que avança 200 km para dentro do mar, ocupando uma área do tamanho dos estados da Paraíba e de Alagoas

21/07/2012
3370 Acessos
Imprimir
Maior refúgio de vida marinha da costa brasileira
O Maior refúgio de vida marinha da costa brasileira é o Banco de Abrolhos, um arquipélago que fica no sul do litoral da Bahia. Ao todo são 420 km de extensão costeira, que avança 200 km para dentro do mar, ocupando uma área gigante, do tamanho dos estados da Paraíba e de Alagoas.

Com surpreendente diversidade de animais, o local é berço da baleia jubarte para reprodução e amamentação. Somente em 2011, sete mil baleias vieram até Abrolhos, em uma viagem de quatro mil km que demorou dois meses, saindo da Antártica.

Já os pássaros utilizam o arquipélago como ponto de pouso para descanso, procriação ou simplesmente para buscar alimento, pela grande oferta de peixes. A ave mais abundante é o piloto, também conhecido como atobá, que faz seus ninhos sobre o solo.

O Banco de Abrolhos está localizado a aproximadamente 72 km da costa da cidade de Caravelas – BA e a 950 km da capital Salvador. O arquipélago possui cinco ilhas, dispersas em 913 km²: Santa Bárbara, Siriba, Redonda, Sueste e Guarita.

Riqueza natural
Em Abrolhos também existe o maior banco de corais do Atlântico Sul, além de ser o único lugar do planeta com recifes que crescem em forma de cogumelos, os chamados ‘chapeirões’.
O arquipélago abriga o Parque Nacional Marinho, primeiro do gênero no Brasil, criado em abril de 1983. Possui ainda a maior área coberta do mundo por rodolitos – algas que formam estruturas semelhantes a recifes de corais.

Necessidade de preservação
Uma preocupação dos pesquisadores em relação a Abrolhos é que a cada ano a quantidade de peixes no local está diminuindo. Para tanto, existem atividades de pesquisa e estratégias de manejo, e principalmente, a constante necessidade de preservação ambiental.

As ilhas
A ilha Santa Bárbara é a maior do arquipélago e a única habitada, onde vivem militares e pesquisadores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). Apesar de estar praticamente no centro do Parque dos Abrolhos, a ilha pertence à Marinha do Brasil e por ser uma base militar, o desembarque só é permitido com autorização.

A Siriba é a única ilha de Abrolhos em que é permitido livremente o desembarque e a visita de turistas, com atividades sempre programadas e monitoradas. A ilha Redonda é o único local de reprodução das aves fragatas, e apesar de ser autorizado o desembarque, isto dificilmente acontece devido à desova das tartarugas na praia e pela presença de corais de franja, que dificulta o acesso.

Segunda maior ilha do arquipélago, a Sueste é uma área intangível e por isto não se permite o desembarque. Já a ilha Guarita é a menor de todas, com 100 metros de extensão, onde também é proibido às pessoas desembarcarem. Sua superfície é formada por um aglomerado de grandes blocos de rochas vulcânicas.

Formação
O Banco de Abrolhos começou a se formar entre 42 milhões e 52 milhões de anos, a partir de erupções vulcânicas submarinas, que derramaram lava no fundo dos mares. Sobre esta base rochosa se desenvolveram corais, algas calcárias e outros organismos que atualmente fazem parte do arquipélago.


Fontes: Fantástico, Wikipédia, Globo Mar e Abrolhos.net
Redação: Fátima Pires