Primeira juíza de futebol do mundo

A mineira teve o diploma reconhecido pela FIFA em 1971, quebrando tabus e entrando para a história do esporte. Por sua eficiência, ganhou espaço e teve uma carreira vitoriosa

18/10/2012
12565 Acessos
Imprimir
Primeira juíza de futebol do mundo
Mineira quebrou tabus, ganhou espaço e teve uma carreira vitoriosa - Imagem: divulgação
Asaléa de Campos, mais conhecida como Léa Campos, que entra para o RankBrasil, foi a primeira juíza de futebol do mundo.

A mineira teve o diploma reconhecido pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) em 1971, após cursar oito meses na escola de árbitros da Federação Mineira de Futebol, em 1967.

Neste período de legalização do diploma, ela encontrou muitas dificuldades, em especial de pessoas contrárias à presença feminina no futebol. Para atingir seu objetivo, apelou ao presidente da República e ainda precisou se submeter a exames e testes, a fim de provar que apesar de ser mulher, tinha condições físicas para exercer a profissão.

Depois do reconhecimento legal, apitou jogos em quase todos os estados brasileiros. Por sua eficiência, ganhou cada vez mais espaço e foi para a Copa Mundial de Futebol Feminino, no México, representando o Brasil na arbitragem. Também apitou centenas de partidas na Europa e nas Américas, consolidando uma carreira vitoriosa.



Paixão pelo futebol
Léa Campos nasceu em Belo Horizonte – MG, em 1945. Formada em Educação Física pela Universidade de Brasília, a recordista se apaixonou por futebol quando ainda estava na escola secundária, tornando-se centroavante de um time de meninas.

Apesar da dedicação a um esporte na época predominantemente praticado por homens, ela não foi masculinizada pela sociedade. Pelo contrário, chegou a conquistar o título de miss Belo Horizonte. Após deixar a faixa de missa, Léa Campos se tornou jornalista esportiva nas rádios mineiras e relações públicas do Cruzeiro Esporte Clube.

Lutadora e cronista
Por causa de um problema no joelho, Léa Campos se afastou dos gramados e virou lutadora livre e boxista por algum tempo, diplomando-se pela Federação Mineira de Pugilismo. Atualmente ela reside nos EUA, onde participa de eventos esportivos e é cronista de jornais em Nova Iorque.


Fontes: UOL Esporte, Bolsa de Mulher e Brasil Profissões
Redação: Fátima Pires