Arquiteto com maior tempo em atividade no Brasil

Recordista chegou aos 104 anos de idade e 80 de profissão. Por seu talento, ele é considerado um dos maiores gênios da Arquitetura

30/06/2012
7824 Acessos
Imprimir
Arquiteto com maior tempo em atividade no Brasil
Foto: Acervo RankBrasil
Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares Filho, conhecido apenas como Oscar Niemeyer, foi o Arquiteto com maior tempo em atividade do país: 104 anos de vida e 80 de profissão.

Considerado um dos nomes mais influentes na Arquitetura Moderna Internacional, o recordista deixou inúmeras obras renomadas no Brasil e no exterior.

Niemeyer nasceu na capital carioca, em 15 de dezembro de 1907. O gosto pelo desenho o levou à arquitetura e em 1929, ele entrou para a Escola Nacional de Belas Artes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

No ano de 1932, aos 24 anos, o recordista iniciou sua vida profissional como estagiário no escritório dos arquitetos Lúcio Costa e Carlos Leão. Ele se formou em 1934, obtendo o diploma de engenheiro arquiteto.

Em 1936, Niemeyer integrou a equipe que projetou o prédio do Ministério da Educação, um marco na arquitetura brasileira. Em 1939, viajou até os Estados Unidos, juntamente com Lúcio Costa, para projetar o Pavilhão do Brasil na Feira Mundial de Nova York.

Outro momento importante na carreira de Niemeyer também aconteceu nos EUA. Em 1947, o arquiteto participou da construção da sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York. Seu projeto, associado ao do arquiteto francês Le Corbusier, foi escolhido como base do plano definitivo da obra.

Sua primeira viagem à Europa, no início da década de 1950, aconteceu para participar do projeto de reconstrução de Berlim, na Alemanha, que foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial. Nessa época, ele também projetou o parque do Ibirapuera e o Edifício Copan, atualmente cartões-postais da cidade de São Paulo.

Gênio da Arquitetura
Niemeyer desenvolveu os mais variados projetos, entre igrejas, escolas, casas, prédios, clubes, hotéis, museus, cinemas, universidades, teatros, pontes, estádios, memoriais, praças, bibliotecas, hospitais, esculturas e parques.

Com uma vasta experiência, aliada a seu indiscutível talento e produtividade, Niemeyer é visto mundialmente como um dos maiores gênios da Arquitetura.

Pioneirismo
Niemeyer foi pioneiro mundial na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto armado. Ele também foi um dos primeiros a trabalhar com design de móveis no Brasil, levando à madeira prensada as curvas que já aplicava ao concreto.

Brasília
O recordista foi escolhido por Juscelino Kubitschek, então presidente do Brasil, para desenvolver os projetos dos edifícios de Brasília – DF, ganhando prestígio e reconhecimento internacional.

Em poucos meses, o arquiteto projetou o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional, a Catedral, os prédios dos Ministérios, além de edifícios residenciais e comerciais da nova capital do país, inaugurada em 1960.

Ditadura militar
No início dos anos 60, Niemeyer foi nomeado coordenador da Escola de Arquitetura da Universidade de Brasília (UnB), obra projetada pelo arquiteto. Com o golpe militar e a ditadura, em 1965, juntamente com outros professores, ele deixou a UnB em protesto contra a nova política universitária do governo.

Filiado ao Partido Comunista Brasileiro e praticamente impedido de trabalhar no país, Niemeyer se mudou para Paris, na França, onde projetou, entre outras obras, a sede do Partido Comunista Francês, além de realizar trabalhos na Itália, Argélia, Portugal e Inglaterra.

De volta ao Brasil
O arquiteto voltou ao Brasil no início da década de 1980, com o abrandamento da ditadura militar. Nesta época, projetou o Memorial Juscelino Kubitschek em Brasília. Em 1984, realizou o projeto do Sambódromo do Rio de Janeiro e em 1987, o Memorial da América Latina, em São Paulo.

Família
Niemeyer se casou aos 21 anos com Annita Baldo, com quem teve uma filha, cinco netos, treze bisnetos e quatro trinetos. Em 2004 ficou viúvo e em 2006 se casou com a secretária, Vera Lúcia Cabreira, que tinha na época 60 anos.

Obras exóticas
Entre as obras exóticas realizadas por Niemeyer está o Museu Oscar Niemeyer, localizado em Curitiba – PR, que tem a forma de um olho gigante. Outros projetos ousados são, entre outros, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói – RJ e a Catedral de Brasília.

Fundação Oscar Niemeyer
Criada em 1988, a Fundação Oscar Niemeyer é uma instituição sem fins lucrativos, reconhecida como utilidade pública pelo Governo Federal.

Instalada no Estado do Rio de Janeiro e em Brasília, a fundação abriga um centro de estudo e informação em arquitetura, urbanismo, design e artes plásticas contemporâneas, preservando e difundindo a memória da arquitetura moderna brasileira.

Uma vida pela Arquitetura
Niemeyer foi autor de vários livros, entre eles, ‘Minha experiência em Brasília’, ‘A forma na arquitetura’, ‘Como se faz arquitetura’, ‘As curvas do tempo’ e ‘Minha arquitetura’. Em 2007 foi lançado o documentário ‘A vida é um sopro’, sobre a vida do arquiteto, com direção e roteiro de Fabiano Maciel.

Reconhecimento
Pelo seu trabalho, Niemeyer foi membro honorário do Instituto Americano de Arquitetos e da Academia Americana de Artes e Letras e do Instituto Nacional de Artes e Letras.

Nesses anos de profissão, ele recebeu prêmios, medalhas e títulos em diversas partes do mundo, entre prêmio Príncipe das Astúrias das Artes, na Espanha, prêmio Unesco na categoria Cultura, título de Arquiteto do Século XX, do Conselho Superior do Instituto de Arquitetos do Brasil e Medalha de Ouro da Academia de Arquitetura da França.

Niemeyer ganhou a medalha Ordem do Mérito Cultural, o prêmio Alba das Artes, da Venezuela, Cuba, Bolívia e Nicarágua e obteve títulos de Doutor Honoris Causa (por motivo de honra), de várias universidades brasileiras e da Universidade Técnica de Lisboa.

Patrono da Arquitetura Brasileira
Através da lei federal número 11.117, de 18 de maio de 2005, Oscar Niemeyer foi declarado Patrono da Arquitetura Brasileira. O projeto foi proposto pela deputada Luiza Erundina e assinada pelo então presidente do país, Luiz Inácio Lula da Silva.

Falecimento
O arquiteto morreu no dia 05 de dezembro de 2012, em decorrência de uma infecção respiratória, prestes a completar 105 anos de idade. Desde o dia 02 de novembro ele estava internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro.

    Frases de Niemeyer
  • “A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem”
  • “A vida é um sopro”
  • “Amo a vida e a vida me ama. Somos um casalzinho insuportável”
  • “Existem apenas dois segredos para manter a lucidez na minha idade: o primeiro é manter a memória em dia. O segundo eu não me lembro”
  • “Quando uma forma cria beleza tem na beleza sua própria justificativa”
  • “A vida nos leva pra onde ela quer. Cada um vem, escreve sua historinha e vai embora. Não vejo segredo em levar a vida”
  • “Nunca penso na morte, NUNCA. Vou deixar para pensar nisso quando tiver mais idade”


Fontes: site oficial de Oscar Niemeyer, G1, Fundação Oscar Niemeyer, Terra, Rede Record, UOL e Wikipédia
Redação: Fátima Pires