Melhor participação do Brasil em Jogos Paralímpicos

País fez história nos Jogos de Londres ao conquistar 21 ouros, 14 pratas e oito bronzes, sua melhor participação em todas as edições do torneio

10/09/2012
4699 Acessos
Imprimir
Melhor participação do Brasil em Jogos Paralímpicos
O Brasil ficou em 7° lugar no quadro geral de medalhas dos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012, resultando em sua melhor participação na história do torneio, que era a meta projetada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro.

A equipe verde e amarela conquistou 43 medalhas, sendo 21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze. Ao todo participaram 182 paratletas do país (115 homens e 67 mulheres), que disputaram 18 das 20 modalidades presentes na competição.

Nas Paralimpíadas de Pequim, na China, em 2008, apesar de o Brasil ter obtido 47 medalhas, quatro a mais que em Londres, foram apenas 16 de ouro, o que significa cinco a menos que na última edição dos Jogos. Na época, o país ficou com a nona colocação.

Os esportes que mais ganharam medalhas foram a natação e o atletismo, que juntos somam 32, sendo 16 de ouro. O nadador Daniel Dias foi o grande destaque, com seis ouros, quebrando cinco recordes mundiais. Por suas conquistas, consolidou-se como o maior medalhista paralímpico brasileiro, com 15 no total.

Nos Jogos da Inglaterra, o país conquistou muitos outros recordes e quebrou marcas no esporte nacional e mundial. Na natação, além de Daniel, Andre Brasil brilhou nos 50m livre S10 (para pessoas com limitações físico-motoras), obtendo o bicampeonato paralímpico e quebrando o próprio recorde mundial.

Quadro de medalhas nas Paralimpíadas de Londres

Lugar País Ouro Prata Bronze Total
1 China 95 71 65 231
2 Rússia 35 38 28 101
3 Grã-Bretanha 34 43 43 120
4 Austrália 32 23 30 85
5 Ucrânia 32 23 28 83
6 Estados Unidos 31 29 38 98
7 Brasil 21 14 8 43
8 Alemanha 18 26 22 66
9 Polônia 14 13 9 36
10 Holanda 10 10 19 39
No Atletismo, o Brasil alcançou pela primeira vez um pódio triplo em Paralimpíadas, com Terezinha Guilhermina (com novo recorde mundial), Jerusa Santos e Jhulia Karol, nos 100m rasos T11 (categoria para deficientes visuais).

Alan Fonteles também fez história nos 200m rasos T44 (para pessoas amputadas), ao conquistar a medalha de ouro, vencendo o sul-africano Oscar Pistorius, considerado o maior nome na modalidade. Já nos 200m rasos T46 (também para amputados), Yohansson Nascimento foi ouro, com recorde mundial.

No lançamento de dardos, outro ouro e quebra do próprio recorde mundial: da brasileira Shirlene Coelho, na categoria F37/38 (para paralisados cerebrais). Apesar de não conquistar medalhas, o velocista Lucas Ferrari também merece destaque, por quebrar o recorde brasileiro nos 200m rasos T37 (paralisia cerebral).
Medalhas do Brasil por esporte

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Natação 9 4 1 14
Atletismo 7 8 3 18
Bocha 3 - 3 4
Esgrima 1 - - 1
Futebol de 5 1 - - 1
Judô - 1 3 4
Golbol - 1 - 1
Na esgrima, o país obteve o ouro inédito com Jovane Guisone; na bocha, alcançou a melhor participação na história do torneio, com três medalhas de ouro e uma de bronze; e no futebol de 5 (para deficientes visuais), a equipe brasileira confirmou o favoritismo, sagrando-se tricampeã paralímpica.

No Brasil
As Paralimpíadas de 2016 vão acontecer no Rio de Janeiro. A meta do Comitê Paralímpico Brasileiro é que o país suba no quadro geral de medalhas, alcançando no mínimo a quinta posição.


Fontes: Ministério do Esporte, SportTV, Revista Exame e Portal Terra
Redação: Fátima Pires