Maior número de medalhas do boxe em Olimpíadas

Nos Jogos de Londres, Brasil obteve três medalhas no esporte, sendo duas de bronze e uma de prata

13/08/2012
7637 Acessos
Imprimir
Maior número de medalhas do boxe em Olimpíadas
O boxe brasileiro fez história nos Jogos de Londres e consequentemente recebe o registro do RankBrasil pelo maior número de medalhas em Olimpíadas, totalizando três: duas de bronze e uma de prata.

Antes do torneio de 2012, o país contava somente com uma medalha de bronze no peso mosca (até 51kg), do ex-pugilista Servilio de Oliveira, obtida na Cidade do México, no ano de 1968.

A conquista do recorde teve início com o bronze de Adriana Araújo, na categoria peso leve (até 60kg), sendo a primeira brasileira a subir no pódio do boxe olímpico feminino. A atleta ainda recebeu destaque por ganhar a medalha número 100 do Brasil em Jogos Olímpicos.

Os irmãos Esquiva e Yamaguchi Florentino foram os outros medalhista no esporte. Com a prata, Esquiva se tornou o primeiro medalhista do país no peso médio do boxe (até 75kg) e Yamaguchi, com o bronze, o primeiro no meio pesado do esporte (até 81kg).

Os atletas do boxe brasileiro que disputaram as Olimpíadas em Londres são patrocinados pela Petrobrás, através da Lei de Incentivo ao Esporte, e também fazem parte do programa Bolsa-Atleta, desenvolvido pelo Ministério do Esporte.

Esporte olímpico
O boxe masculino entrou para o programa olímpico da Era Moderna nos Jogos de St. Louis, nos EUA, em 1904, e foi realizado em todas as outras edições, com exceção do torneio em Estocolmo, em 1912, devido a uma lei sueca que bania a prática do esporte em seu território.

Boxe do Brasil nas Olimpíadas
O Brasil participou pela primeira vez da modalidade em 1936, nos Jogos de Berlim, na Alemanha. Até 2008, em Pequim, o boxe era praticado apenas por homens. No feminino, o esporte se tornou olímpico em Londres e a brasileira Érica dos Santos Matos fez história por ter sido a primeira atleta mulher do país a competir na modalidade.


Fontes: Confederação Brasileira de Boxe, Globo Esporte e Time Brasil
Redação: Fátima Pires